PUBLICIDADE
Professores de Carira suspendem aulas e cobram reajuste
05/05/2016 13:06 em Notícias

Os professores da rede municipal de Carira suspenderam desde a última segunda-feira, 2, as atividades escolares para cobrar da prefeitura o reajuste salarial da categoria. Os docentes alegam estagnação de cinco anos e outros problemas. A paralisação seguirá até a próxima sexta-feira, 6, envolvendo ainda, atos na Câmara de Vereadores e caminhada pelas ruas do município. No mesmo dia, uma assembleia decidirá novas ações do movimento grevista.

Segundo a coordenadora da sub-sede regional agreste do Sindicato dos Trabalhadores da Educação Básica da Rede Oficial do Estado de Sergipe (Sintese), Rita de Cássia, os problemas na rede de ensino do município são antigos. “Os professores de Carira são os que menos ganham em todo Sergipe. Isso porque há cinco anos, a categoria não recebe o reajuste do piso salarial”, afirma. Conforme a sindicalista, outra contrariedade que a categoria tem enfrentado são as datas distintas do pagamento dos profissionais. “Já faz algum tempo que o pagamento é feito tal dia para alguns professores, e com atraso para outros. Não entendemos o critério da administração”, pontua.

No enredo das reivindicações, ainda consta a cobrança dos terços salariais referentes às férias coletivas dos professores, que segundo Rita, deveria ser pago em janeiro de 2016, mas até o momento não houve depósito. A categoria inclui na pauta a cobrança por melhorias nas estruturas físicas, de materiais didáticos e até merenda escolar nas unidades de ensino de Carira.

Na perspectiva de sentar para dialogar com o prefeito Diogo Machado, os professores pretendem questionar a folha de despesa do município com a educação, qual dizem constar um gasto de pelo menos R$ 100 mil com funcionários e contratos considerados pela categoria como ‘desnecessários’. “Após uma reunião com o Ministério Público, ficou decidido que iríamos estudar a folha de despesas e apontar gastos desnecessários para que o prefeito revertesse isso no pagamento do nosso reajuste. Fizemos a análise e apontamos um gasto desnecessário de R$ 100 mil com funcionários e contratos. Agora o prefeito desmarca todas as audiências que marcamos para efetivar o que ficou combinado antes”, esclareceu Rita, representante do Sintese na região.

Prefeitura

A equipe de reportagem do Portal Infonet tentou por diversas vezes entrar em contato com o prefeito Diogo Machado, do município de Carira, para que ele pudesse se defender das acusações dos professores, mas nenhuma das ligações foi atendida. Permanecemos à disposição do prefeito ou alguém da gestão municipal de Carira para esclarecimentos através do telefone (79) 2106-8000 ou do e-mail jornalismo@infonet.com.br.

Por: Infonet

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!