PUBLICIDADE
Professores da rede estadual de Sergipe e de 74 municípios decretam greve contra retorno presencial das aulas
05/05/2021 09:40 em Notícias

Por G1 SE


Professores da rede estadual e dos municípios sergipanos — exceto Aracaju — decidiram entrar em greve contra o retorno das aulas presenciais, agendado para o dia 10 de maio. De acordo com o Sindicato dos Trabalhadores em Educação Básica de Sergipe (Sintese), as aulas remotas continuarão sendo ministradas. As decisões ocorreram durante uma assembleia virtual realizada nessa terça-feira (4). 

A volta às aulas deve ocorrer, segundo o governo, para o 1º e 2º ano do ensino fundamental, no caso da rede estadual, e para quaisquer outras turmas das redes municipais, conforme decisão de cada prefeitura. Dados do Censo Escolar apontam que em 2020 foram matriculados cerca de 44 mil estudantes nessas séries. Atualmente, creches e pré-escola funcionam presencialmente no estado. 

O Sintese informou que a categoria espera que os gestores municipais não iniciem as aulas presenciais, continuem com o trabalho remoto e garantam as condições necessárias para que elas sejam ministradas pelos educadores e acessadas pelos estudantes. Uma ação será judicializada para tentar impedir o retorno. 

“Até o momento, não nos foi apresentada nenhuma justificativa científica que corrobore o retorno das aulas presenciais, quando vivemos o momento mais difícil da pandemia, com ocupação máxima de leitos de UTI, sem perspectiva de quando os trabalhadores da Educação serão vacinados, sem testagem em massa dos estudantes e sem condições sanitárias e até mesmo de pessoal nas escolas. A decisão da assembleia é uma defesa da vida e não somente a dos professores e professoras, mas dos trabalhadores das escolas, dos estudantes e de suas famílias”, disse a presidenta do Sintese, Ivonete Cruz. 

Um ato está agendado para o dia 10 de maio, em frente à Secretaria de Estado da Educação, do Esporte e da Cultura (Seduc), na capital. 

O Sindicato dos Profissionais do Ensino do Município de Aracaju (Sindipema) informou que vai se reunir virtualmente nessa quinta-feira (6) para tratar sobre o tema. Mas, segundo a assessoria de comunicação, só haverá retorno às salas de aula após a vacinação. 

 

O que diz o governo

 

De acordo com o governo do estado, a Seduc e os municípios estão realizando um levantamento com o número de professores que trabalham em escolas com previsão de retorno para o dia 10 de maio, para preparar a vacinação. O governador Belivaldo Chagas, na semana passada, havia manifestado intenção de antecipar a imunização da categoria

"Tudo está sendo feito para que a volta às aulas aconteça de forma gradual e segura. Assim que tivermos essa lista pronta, prepara-se a vacinação", disse o superintendente de comunicação Givaldo Ricardo.

 

 

COMENTÁRIOS
Publicidade